27 fevereiro, 2013

A Imaginação das Crianças

Quando a criança está na fase de desenvolvimento da imaginação, muitos pais acabam freando e reprovando a capacidade imaginativa de seus filhos, dizendo: “Deixa de inventar mentiras menino!”. Para muitos pais a imaginação está associada a mentiras. Acredito que pais preparados sabem explorar e contribuir para o desenvolvimento de mentes criativas e imaginativas de seus filhos.

Albert Einstein tinha razão ao dizer que a imaginação é mais importante que o conhecimento. O conhecimento é limitado. A imaginação envolve o mundo.

Alguns pais cristãos dizem que nunca irá contar “contos de fadas” aos seus filhos, pois estes tipos de historias são mentiras e ensina as crianças sobre dragões, etc. O triste é que muitos desses pais não contam nem historias bíblicas para seus filhos. O pior é que muitos pais cristãos não sabem contar boas historias bíblicas, apenas narram a bíblia a seus filhos.

Os contos de fadas não dizem às crianças que os dragões existem.Os contos de fadas dizem que os dragões podem ser mortos.” [G. K. Chesterton]
“Tanto Tolkien quanto Lewis defendiam que o profissional, seja das letras, seja da educação ou outra “ciência humana” deve se valer de várias áreas do conhecimento na sua busca pela verdade, não apenas pela via da razão, mas também usando um importante mediador: a imaginação. Com isto, eles se colocavam contra o pensamento predominante na sua época, pautada pelo racionalismo e iluminismo acadêmico. É preciso considerar ainda a rivalidade que pode haver entre um campo “prático” como a crítica literária, representada por Lewis, e a filologia, considerada mais analítica. Assim, ao invés de separá-los, a especialidade dos dois intelectuais redundou em uma importante complementação e no incentivo à efetiva interdisciplinaridade, beirando a transdisciplinaridade.”*
Concordo com o pensamento de Lewis e de Tolkien com relação a imaginação, primeiro por eu estar se graduando em letras e segundo pois a imaginação tem valor tão quanto tem a razão. O ser humano é um ser tanto racional quanto imaginativo. Como diria C.S.Lewis: “A razão cuida da verdade, a imaginação é a responsável pelo sentido. Ambas, razão e imaginação, devem cooperar para uma melhor apreensão da realidade”.**
Desta forma, utilizando tanto a razão quanto a imaginação, teremos uma perspectiva de totalidade.

Agora um recadinho aos pais cristãos que não gostam ou não sabem contar histórias aos seus filhos: Atentem se a forma como Jesus ensinava. Ele contava historias. Fala por meio de parábolas, estimulando tanto a razão quanto a imaginação das pessoas que o ouvia. E muitas ficam maravilhadas com as verdades que encontravam nas parábolas. Perceba que Jesus não simplesmente narra a Torá para as pessoas. Ele conta uma historinha e contava para pessoas adultas.

*extraído do C.S.Lewis.com.br por Gabriele Greggersen